Parques são opções de lazer para o verão

O verão continua e, com ele, os dias ensolarados que combinam com muita diversão. Em todo o Estado do Rio de Janeiro tem opções de lazer para aproveitar  a melhor estação do ano: banhos de cachoeiras, caminhadas ecológicas e até locais propícios para a prática de rapel, escaladas, canoagem e  Stand Up Paddle são alguns dos atrativos que podem ser desfrutados pelos fluminenses e turistas. Tudo isso é possível encontrar nos parques estaduais, administrados pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

São 11 parques estaduais de proteção integral distribuídos pelo território fluminense, cujos objetivos são a conservação da biodiversidade e a visitação. A entrada é gratuita. São eles: Parque Estadual da Pedra Branca, na Zona Oeste do Rio; Parque Estadual da Serra da Tiririca, situado em Niterói e Maricá, na Região Metropolitana do Rio; Parque Estadual dos Três Picos, na Região Serrana do Rio; Parque Estadual do Desengano, no Norte Fluminense; Parque Estadual da Serra da Concórdia, no Centro Sul Fluminense; Parque Estadual da Pedra Selada, no Médio Paraíba do Sul; Parque Estadual da Ilha Grande, no litoral Sul Fluminense; Parque Estadual da Costa do Sol, na Região dos Lagos; Parque Estadual Cunhambebe, na Região da Costa Verde do Estado; Parque Estadual do Mendanha, que abrange o Rio de Janeiro e os municípios de Nova Iguaçu e Mesquita, estes na Baixada Fluminense; e Parque Estadual da Lagoa do Açu, em Campos, no Norte fluminense.

É importante ressaltar que a prática de atividades recreativas e esportivas em áreas naturais sempre oferece riscos, inclusive no interior de parques públicos. Antes de se lançar a uma destas atividades, especialmente os chamados esportes de aventura (caminhada, escalada, voo livre, mergulho e etc.), informe-se bem sobre as dificuldades e os riscos envolvidos.​

Confira o que os parques estaduais podem oferecer:

Parque Estadual da Pedra Branca

Que tal um banho de cachoeira para refrescar o calor? O visitante pode desfrutar deste lazer no Parque Estadual da Pedra Branca, situado na Zona Oeste, do município do Rio de Janeiro, e que abrange partes de 17 bairros, dentre eles: Vargem Grande, Vargem Pequena, Barra da Guaratiba, Campo Grande, Santíssimo, Senador Camará, Padre Miguel, Bangu, Realengo, Sulacap e Taquara. É considerado uma das maiores florestas urbanas do mundo, com 12.500 hectares de área. A sede da unidade de conservação fica no núcleo Pau da Fome, em Jacarepaguá, e as subsedes estão situadas nos núcleos Camorim, também em Jacarepaguá, e Piraquara, em Realengo.

A unidade de conservação possui quedas d’água onde o banho é permitido como a cachoeira do Mucuíba, que fica em Vargem Grande onde há um posto avançado do parque. A partir do posto avançado, o visitante caminhará um trecho de aproximadamente 500 metros até chegar à cachoeira.

Outra boa pedida é a Cachoeira do Camorim. O acesso a este atrativo  se dá através da trilha do Açude do Camorim, que começa ao lado do Centro de Visitantes, na subsede do Parque, em Camorim, Jacarepaguá. No entanto, para se chegar a esse local, é preciso enfrentar uma caminhada de aproximadamente duas horas em um percurso   de 2,5 quilômetros. Já em Realengo onde o parque possui uma subsede, os visitantes podem desfrutar da cachoeira do Barata, de fácil acesso.

E para quem gosta de praticar caminhadas, a trilha do Rio Grande, localizada na sede do parque no Núcleo Pau da Fome, é uma boa dica: são 800 metros de extensão que podem ser explorados por visitantes de todas as idades.  As principais atrações são o aqueduto do século XIX, o recanto da Represa da Figueira e o da Represa da Padaria.

Ainda no Núcleo Pau da Fome, o visitante poderá conhecer a exposição permanente “Da Pedra Branca ao Pau da Fome”, voltada para estudantes, mas que vem encantando todos os visitantes. A mostra tem informações sobre a composição das rochas do local, os animais que habitam a região, além de curiosidades sobre a flora. Um bromeliário sustentável e a trilha do Mel, com 30 colmeias ornamentais, são outros atrativos que ganham o deslumbramento de quem visita o Parque.

Serviço:

Horário de visitação: terça-feira a domingo, das 9h às 17h.

Sede: Estrada do Pau-da-Fome, nº 4.003, Taquara, Jacarepaguá

Telefone: (21) 3347-1786 ou 2332-6608

Como chegar: pelo largo da Taquara, entrar na Estrada do Rio Grande e seguir até o Largo da Capela, onde termina a Rio Grande. Entrar na Estrada do Pau da Fome e seguir em frente uns dez minutos até a entrada da sede.

Núcleo Camorim: Estrada do Camorim, nº 2.118, Camorim, Jacarepaguá

Telefone: (21) 3417-3642

Núcleo Piraquara: Rua do Governo s/nº, Realengo

Telefones: (21) 2333-5251 ou 2333-5252

Para mais informações consulte o guia Trilhas – Parque Estadual da Pedra Branca no portal do Inea: www.inea.rj.gov.br

 

Parque Estadual da Serra da Tiririca

Parques
Mirante Morro das Andorinhas / Foto: Felipe Queiroz

Costão de Itacoatiara, Morro Alto Mourão, sítio arqueológico (em Itaipu) e o túnel da antiga Estação Ferroviária de Maricá são alguns dos atrativos que o visitante poderá contemplar ao percorrer as trilhas do Parque Estadual da Serra da Tiririca que abrange partes dos municípios de Niterói e Maricá, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Uma boa opção para quem gosta de apreciar a natureza e praticar esporte é a trilha do Alto Mourão. Com nível de dificuldade moderado, o trajeto a ser percorrido é de, aproximadamente, três quilômetros e leva ao ponto mais alto do parque: o Morro do Alto Mourão com cerca de 450 metros de altitude.

E ainda tem a trilha das Andorinhas. O nível de dificuldade é mais leve, o trecho a ser percorrido é de 800 metros, passando por uma comunidade de pescadores tradicionais de Itaipu e por dois mirantes: um voltado para a Praia de Itaipu e o outro, para a Praia de Itacoatiara. Já para quem prefere os esportes radicais, uma boa sugestão é o rapel na Enseada do Bananal, em Itacoatiara, que deve ser agendado previamente.

O visitante poderá obter outras informações sobre as trilhas do parque no guia de trilhas que está disponível no site do Inea: www.inea.rj.gov.br.

Serviço

O parque recebe visitantes de segunda a segunda, das 8h às 18h.

Endereço da sede: Rua Engenheiro Domingos Barbosa, nº 4 – Recanto de Itaipuaçu – Maricá -RJ  Tel.: (21) 2638-4411

Núcleo Itacoatiara:  Rua das Rosas, nº 24 – Itacoatiara – 24.348-290 – Niterói – RJ  Tel.: (21) 2709-9176

 

Parque Estadual Cunhambebe

Parques
Cachoeira Véu da Noiva /  Foto: Alan Senna

Com área aproximada de 38 mil hectares, o Parque Cunhambebe está situado na Região da Costa Verde do Estado e abrange parte dos municípios de Itaguaí, Mangaratiba, Angra dos Reis e Rio Claro. Com 1,5 mil metros quadrados, a sede sustentável conta com sistemas de energia solar para aquecimento de água, reuso de águas pluviais e telhado verde.

Um dos atrativos da unidade de conservação é o circuito de cachoeiras da trilha do Sahy, cujo percurso é repleto de poções e quedas d’água. A trilha termina no mirante do Sahy, de onde se pode observar a Baía de Sepetiba e o Vale do Rio Sahy, em Mangaratiba.

Outra boa dica é a cachoeira Véu da Noiva, conhecida em função do seu fácil acesso e sua extensa queda d’água. Na parte inicial da caminhada, existem poços para banho, mas a cachoeira Véu da Noiva é a que se destaca. A trilha para o atrativo é leve. Em agosto de 2016 foi inaugurada, no topo da cachoeira, a obra de arte “Um com a Natureza” (One with Nature) da artista plástica japonesa Mariko Mori. A peça é um anel acrílico, com três metros de diâmetro e duas toneladas, que muda do azul para o dourado conforme a incidência dos raios solares. A proposta da escultura – uma representação do sexto anel olímpico – é aumentar a consciência para a conservação da natureza e união da humanidade com ela através da arte.

O Pico do Sinfrônio, com 1,5 mil metros, em Angra dos Reis, e o das Três Orelhas (1,1 mil metros), em Mangaratiba, além da Pedra da Conquista e o sítio histórico da Estrada Imperial são as outras atrações do parque.

Serviço

O parque está aberto para visitação de terça a domingo, das 8h às 17h.

Telefone: (21) 3789 2965

Endereço: Estrada da Cachoeira s/nº – Rodovia Rio-Santos – Km 423 – Vale do Sahy – Mangaratiba – RJ

 

Parque Estadual da Costa do Sol

Com área aproximada de 9.841 hectares, o Parque Estadual da Costa do Sol abrange partes dos municípios de Araruama, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Saquarema e São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos.

Um dos atrativos dessa unidade de conservação  é a Trilha para o Morro do Caixão de onde é possível apreciar a vista da restinga e do mar. Localizado entre Araruama e Arraial do Cabo, o Morro do Caixão é um corredor de areia cercado por vegetação de restinga. O trecho de menos de um quilômetro começa na rodovia estadual RJ 102. Não há um caminho fixo, pois ele pode mudar com as variações das dunas.

Situada em Saquarema, quase na divisa com Araruama, a trilha para Lagoa Vermelha é outra boa dica. São três lagoas circundadas por um canal. Devido à alta concentração salina e à presença de hidrogênio sulfuroso, é procurada para banhos medicinais.

O percurso, de aproximadamente três quilômetros, passa por áreas de restinga, mata, lagoa, mangue e salina até chegar à praia, sendo a vista do pôr do sol seu diferencial.  Considerada leve, a trilha tem acesso pela rodovia estadual RJ-102, entre Balneário de Praia Seca e Dentinho.

 

 Prainhas do Atalaia – Arraial do Cabo

Também conhecida como Prainhas, a estreita faixa de finíssima areia branca é separada por rochas, formando duas praias de águas calmas, transparentes, muito apropriada para banho. O acesso  se dá através do Morro do Atalaia, do qual sai uma escada. A vista é encantadora, descortinando a Ilha do Farol e sendo ponto para os visitantes realizarem registros fotográficos. Também é possível chegar à enseada através de passeios de barcos oferecidos na cidade.

Serviço 

Horário para visitação: de terça a domingo, das 8h às 17h.

Tel.: (022) 2647-3466; (22) 2661-2720

Endereço (provisório): posto avançado da Superintendência Regional Lagos de São João (Suplaj), do Inea, Rua José Antonio Sampaio, nº 6 – Parque Riviera – Cabo Frio.

 

Parque Estadual do Desengano

Parques
Pedra Desengano

Com 22.400 hectares de extensão, o parque estadual do Desengano abrange partes dos municípios de Santa Maria Madalena, São Fidélis e Campos, no Norte Fluminense. É a unidade de conservação mais antiga do estado, criada em 1970.

Um atrativo bastante procurado é a trilha do Poço do Padre, cujo grau de dificuldade é leve.  Durante o percurso, de aproximadamente 1h30 de caminhada, o visitante poderá desfrutar de um caminho no interior da Mata Atlântica, com paisagens exuberantes, passando por rio, poços e pequenas cascatas. O acesso para a trilha se dá em Santa Maria Madalena, onde é necessário pegar a Estrada de Terras Frias.

Para quem gosta de percorrer trilhas pesadas, uma boa dica é a trilha que leva à Pedra do Desengano. Para percorrê-la, é necessário que o visitante esteja bem preparado, pois são quatro horas de caminhada só de ida para percorrer 3,6 quilômetros. O esforço é recompensado pela beleza de uma floresta exuberante predominantemente sombreada, com bromélias em abundância e pequenos riachos.

Antes de chegar à Pedra do Desengano, o visitante percorrerá a Serra dos Marreiros por trechos íngremes dentro da floresta e passagens sobre lajes de pedras cobertas de bromélias e orquídeas. Ao chegar ao cume, é possível ter uma visão privilegiada da Serra Morumbeca e a Serra Grande, conhecidas como o mar de morros que compõem o Vale do Paraíba do Sul.

Serviço

Visitação: de domingo a domingo, das 8h às 17h.

Endereço: Centro de Visitantes / Estrada José Dantas dos Santos, 35 -Itaporanga – Santa Maria Madalena – RJ – Entrada pelo Horto Florestal Santos Lima.

Telefones: (22) 2561-3072 / 2561-1378

Email: ped.inea@gmail.com

 

Parque Estadual da Ilha Grande

Segundo maior parque insular do Brasil, o Parque Estadual da Ilha Grande abrange cerca de 80% da Ilha Grande, no litoral Sul fluminense. Com mais de 12 mil hectares, a unidade de conservação abrange dez praias além de costões rochosos, florestas, restingas, manguezais, rios, cachoeiras, lagoas, construções históricas e mais de 80 quilômetros de trilhas.

Um dos atrativos mais visitados do Parque Estadual da Ilha Grande é a Cachoeira da Feiticeira. O visitante precisa percorrer 1,8km de trilha. O caminho começa na Vila do Abraão e leva para Cachoeira da Feiticeira.  O percurso é de dificuldade moderada com subidas e descidas pela mata, trechos com vegetação fechada e rala. Ao chegar, é possível avistar uma bela queda d’água de aproximadamente 15 metros de altura.

Já a trilha Abraão-Lopes Mendes possui 7,8 km de trajeto. O caminho considerado de moderado grau de dificuldade é utilizado por visitantes que desejam conhecer a Praia de Lopes Mendes considerada uma das mais belas do mundo. Ao longo do percurso, é possível acessar as praias de Palmas, Mangues e Pouso.  A caminhada pode levar até quatro horas.

Serviço

Visitação: de terça a domingo, das 8h às 17h.

Endereço da sede:

Avenida Nacib Monteiro de Queiroz, s/nº, Vila do Abraão – Ilha Grande – Angra dos Reis – RJ

Tel.: (24) 3361-5540

 

Parque Estadual da Serra da Concórdia

O Parque Estadual da Serra da Concórdia abrange áreas do município de Valença, no Centro Sul fluminense. Atualmente, a unidade de conservação está passando por processo de ampliação territorial de cerca de cinco mil hectares onde serão incluídas partes dos municípiosde Barra do Piraí.

A Serra da Concórdia faz parte de uma região turística oficialmente denominada Ciclo do Vale do Café Fluminense, em virtude de ter sido responsável por 75% da produção mundial de café no século XIX. Em função de sua importância história estar ligada ao café, o parque e sua região do entorno possui um legado muito rico de fazendas, praças históricas, museus, estações ferroviárias e festas culturais, proporcionando para o visitante a oportunidade de conhecer suas riquezas naturais e histórico culturais em uma mesma viagem.

A sede do parque é uma ótima opção de base de apoio para quem busca circuitos longos de pedalada interligando a Serra dos Órgãos e a Serra de Itatiaia e/ou circuitos menores já praticados na região entre Volta Redonda, Vassouras e Três Rios.

Próximo à sede do parque, na trilha da Capivara e dos mirantes da Serra da Concórdia e de Barão de Juparanã o visitante pode desfrutar de pequenos bosques com estruturas para piquenique e descanso, e também percorrer caminhos em trechos em meio a uma floresta em recuperação nas margens do Rio Paraíba do Sul.

Serviço

Sede: Avenida Barão de Santa Mônica, 700, RJ 115.

Horário de funcionamento: 2ª a 6ª feira de 9h às 18h. Visitação aos finais de semana e feriados somente com agendamento prévio.

Telefone: (21) 98596-8763

E-mail: pescusopublico@gmail.com

 

Parque Estadual da Pedra Selada

Com aproximadamente  oito mil hectares, o Parque Estadual da Pedra Selada abrange partes dos municípios de Resende e Itatiaia e também uma região do Médio Vale do Paraíba do Sul fluminense da Serra da Mantiqueira. Tem como principal atrativo turístico o pico da Pedra Selada, com 1.755 metros de altitude, de onde é possível ter uma visão de 360 graus do Vale do Paraíba e da Serra da Mantiqueira, incluindo o Pico das Agulhas Negras além de uma bela vista do Rio Preto que faz a divisa entre os estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais.

Além disso, o parque possui muitos rios e cachoeiras propícias para as atividades turísticas com destaque para o Poço do Rio Marimbondo, na famosa vila de Visconde de Mauá.

 

Bosque do Visconde

O Bosque do Visconde é um espaço natural onde o visitante pode conhecer melhor a natureza local. Localizado em Visconde de Mauá – famosa vila de grande potencial turístico. Em apenas meia hora, é possível percorrer o trajeto que conta com um bosque de araucárias, mirantes em pontos estratégicos com destaque para a Pedra Selada e uma vegetação em diferentes estágios regenerativos, o que faz do bosque um atrativo que promove a interação entre o morador, o visitante e a Mata Atlântica. O acesso ao Bosque do Visconde fica na Avenida Presidente Wenceslau Braz, 200.

Serviço

Visitação: de domingo a domingo, das 9h às 17h.

Sede: Av. Presidente Wenceslau Braz, 200, Visconde de Mauá, Resende – RJ

Telefone: (24) 3387‐2318

 

Parque Estadual dos Três Picos

Com área aproximada de 65.133 hectares, o Parque Estadual dos Três Picos abrange partes dos municípios de Teresópolis, Guapimirim, Nova Friburgo, Cachoeiras de Macacu e Silva Jardim, na Região Serrana do Rio.

A unidade de conservação possui sede em Cachoeiras de Macacu, um  núcleo de montanha em Nova Friburgo e  um núcleo operacional  em Guapimirim, e uma outra sede, em fase de construção, em Teresópolis. A construção dessa nova sede  seguirá conceitos sustentáveis de arquitetura, como por exemplo, aproveitamento da energia solar, através de placas fotovoltaicas para aquecimento da água, biodigestor e captação  de água da chuva para aproveitamento.

Dentre os atrativos que o parque oferece está a trilha da Pedra do Elefante, que oferece uma vista privilegiada de parte da cidade de Teresópolis e da Serra dos Órgãos, com destaque para o Pico Dedo de Deus. Com nível de dificuldade superior/moderado, o trajeto possui 700 metros de extensão e  pode ser percorrido em, aproximadamente, 40 minutos.  Para facilitar a caminhada, foram instaladas em um trecho da trilha, corrimão feito com toras de eucalipto, oriundas de reflorestamento, e degraus feitos com galhos  caídos.

A trilha do Jequitibá, em Cachoeiras de Macacu é um outro atrativo muito procurado pelos visitantes. Com nível de dificuldade leve, o trajeto tem 500 metros de extensão e passa por um riacho, uma caverna. O destaque desse percurso é a árvore Jequitibá, considerada o símbolo da cidade,  que possui quase 40 metros e existe há pelo menos mil anos.

Serviço

Horário: de terça a domingo, das 9h às 16h30

Endereço: Estrada do Jequitibá, nº 145 – Bairro Boca do Mato – Cachoeiras de Macacu – RJ

E-mail: petp@inea.rj.gov.br

Tel: (21) 2649-6847

 

Parque Estadual do Mendanha

Com aproximadamente quatro mil hectares, o Parque Estadual do Mendanha abrange partes dos municípios do Rio de Janeiro, de Nova Iguaçu e Mesquita, estes na Baixada Fluminense.

Um de seus atrativos é a Trilha para as Cachoeiras cujo percurso é de 1,8 quilômetros. A trilha termina em dois poções propícios para o banho.

Durante o percurso,  o visitante pode contemplar a rica flora e fauna, além de ver correntezas e saltos de rios que abastecem com água a população do Rio de Janeiro.

Serviço

Visitação: de terça-feira a domingo, das 8h às 17h

Telefone: 3765-2228

 

Parque Estadual da Lagoa do Açu

O Parque Estadual da Lagoa do Açu está situado entre os municípios de Campos e São João da Barra, no Norte Fluminense. Com aproximadamente oito mil hectares, a unidade de conservação é uma ótima opção de lazer para a prática de surf, Stan Up Paddle e caiaque.

A Ponte Maria da Rosa é uma área bastante frequentada na Lagoa do Açu por banhistas e praticantes de caiaque e Stand Up Paddle, pois é de fácil acesso. Com água em temperatura agradável e com uma beleza sem igual, o local é cercado por vegetação nativa. A Ponte da Maria da Rosa possui a área de mangue mais preservada do parque.

Serviço

Visitação: de domingo a domingo, das 8h às 17h

Contato: (22) 2747 5316

 

Fonte: Assessoria de Imprensa do INEA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *