Tratamento gratuito de Esporotricose

Após seis meses sem receber remessas do medicamento Itraconazol, usado no tratamento de pacientes com esporotricose, mais conhecida como doença do gato, a Secretaria Municipal de Saúde adquiriu as doses para atender seus pacientes. No comércio, o Itraconazol pode ser encontrado em embalagens de 10 cápsulas com um custo que varia de R$70 a R$130.

“Com a demora no envio da medicação e vendo a necessidade dos nossos pacientes, o município está garantindo a compra da medicação para manter o tratamento gratuito na nossa rede de saúde”, garante a secretária Carine Tavares, que acompanhou nesta quarta-feira (26) o trabalho das equipes do Programa Municipal de Esporotricose e Leishmaniose que realiza o atendimento no Centro de Especialidades de Magé.

A esporotricose é um tipo de micose que afeta animais e humanos, provoca feridas que não fecham e é causada pelo fungo Sporothrix schenckii, em geral ele é um agente que contamina o solo, plantas e árvores. Essa enfermidade já foi conhecida como doença da roseira, e os gatos se tornam transmissores ao cavar a terra ou afiar as garras nos troncos das plantas.

Mônica Oliveira e o filho Luiz Gustavo, moram em Piabetá, começaram o tratamento hoje e já saíram com a medicação após a consulta. “Eu tenho gato em casa e a gata apareceu com a esporotricose, a princípio apareceu o machucado como outro qualquer e comecei a tratar com pomada, antiinflamatório, mas a ferida evoluía. Meu filho começou a reclamar da ferida e levei ele na UPA, ele começou a tomar antibiótico e eu percebi que nele a ferida evoluiu também, então fiquei sabendo do tratamento aqui. Graças a Deus recebi todo o medicamento e as orientações corretas para tratar a doença”.

“O gato é tão vítima quanto o humano e ele pode se contaminar no dia-a-dia. Ao ter contato com uma pessoa ele pode transmitir arranhando ou se esfregando no dono que tiver algum ferimento aberto. O ideal é levar o animal ao veterinário e a pessoa procurar o tratamento que acontece toda quarta, a partir das 9h no Centro de Especialidades”, explica Mario Lopes Filho, responsável técnico do programa.

Dados apresentados pelo Programa de Controle de Esporotricose e Leishmaniose apontam que de janeiro a julho deste ano foram identificados 23 casos da doença. “O sexto distrito é o que tem apresentado maior número de casos. As pessoas devem ficar atentas ao aparecimento dessas feridas que não cicatrizam e podem vir buscar informações e tratamento aqui no Centro de Especialidades”, reforça a coordenadora Weima Peçanha.

 

Fonte: Ascom Prefeitura de Magé

2 comentários em “Tratamento gratuito de Esporotricose

  • 21 de setembro de 2017 em 00:17
    Permalink

    Bom dia, me chamo Monica e sou moradora da Ilha do Governador. Tenha uma gata de 8 anos que está com esporotricose e infelizmente não consigo tratamento, além do remédio ser caríssimo (Itraconazol) . Preciso da ajuda de vcs. Já tentei agendar esse tratamento na Fio Cruz, mas foi em vão, super lotado, na Mangueira a mesma coisa, então não sei o que fazer…ela é muito querida e não quero perdê-la, conto com a atenção de vcs, um abraço ,
    Monica Maciel.

    Resposta
  • 1 de outubro de 2017 em 14:26
    Permalink

    Boa tarde,
    Sou moradora do bairro de inhoaíba, e gostaria de ajuda para cuidar de um gatinho de rua que está com esporotricose. Moro numa rua com valão a céu aberto e sem manutenção alguma com muitos ratos e por isso existem muitos gatos aqui na rua. Estou com receio de que essa doença se alastre tanto para os gatos quanto para os moradores, preciso de ajuda para cuidar desse gatinho pois o remédio é caríssimo e não tenho condições de comprar. Entrei em contrato com a prefeitura mas até agora nada foi feito.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *