Combate ao desmatamento ilegal em Paraty

Equipes da Secretaria de Estado do Ambiente e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) deflagraram, no mês de julho, operação conjunta para combater desmatamentos ilegais no município de Paraty, no Sul do Estado do Rio de Janeiro. A ação contou com a participação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), da Prefeitura de Paraty e do Comando de Polícia Ambiental.

A fiscalização foi realizada a partir dos alertas emitidos pelo Projeto Olho no Verde, lançado oficialmente em junho deste ano, pela Secretaria de Estado do Ambiente e pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

Na operação, as equipes vistoriaram 21 áreas em dois dias de fiscalização, das quais em 15 foram constatados desmatamentos ilegais. Na Área de Proteção Ambiental (APA) Cairuçu, a equipe constatou desmatamento de uma área de 2.493 metros quadrados. O proprietário foi notificado a apresentar autorização ambiental municipal.

Os fiscais também encontraram desmatamento em Faixa Marginal de Proteção, Área de Proteção Permanente (APP), de 2.093 metros quadrados. O responsável pelo desmatamento foi conduzido à delegacia. Em outra área da mesma APA, foi detectada supressão de árvores em manguezal de um trecho de 778 metros quadrados.

“As ações conjuntas foram fundamentais para conseguirmos alcançar todos os alertas gerados para a região. Em apenas uma semana de relatório do projeto, identificamos 27 pontos com suspeita de supressão irregular. Além disso, a ação integrou forças ambientais da união, estado e município. Vamos replicar tais ações para as outras regiões do estado”, disse o subsecretário estadual do Ambiente, Rafael Ferreira.

Projeto Olho no Verde

O projeto envolve o monitoramento sistemático da cobertura florestal de uma área de sete mil km quadrados, onde se localizam os principais remanescentes florestais do estado. Para isso, utiliza imagens de satélite de alta resolução obtidas semanalmente, o que permite identificar, com precisão, o corte até mesmo de uma única árvore. Esse trabalho permite direcionar, de forma mais ágil e precisa, as fiscalizações com o objetivo de reprimir o desmatamento ilegal.

Em 2016, foram selecionados 326 alertas (imagens) para vistoria, dos quais 196 casos indicaram supressão de vegetação e/ou alguma intervenção irregular local, em área equivalente a 71 hectares.​ ​

No momento, o Projeto Olho no Verde vem buscando parcerias com os municípios para ampliar o seu alcance.

 

Fonte: Ascom Secretaria de Estado do Ambiente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *