Agricultura familiar no cardápio escolar

Os alunos da rede municipal de ensino de Queimados estão recebendo essa semana um reforço na alimentação escolar com frutas e legumes, além claro, do famoso lanchinho com biscoitos e suquinhos naturais. Grande parte desses alimentos retirado do solo e sem agrotóxico. Isso por conta de uma parceria da Secretaria Municipal de Educação com os sitiantes da cidade, por intermédio da Secretaria Municipal de Agricultura.

Os alunos recebem até três refeições por dia, dependendo da carga horária dentro da escola, explica o secretário de Educação, professor Lenine Lemos. “Se o aluno entra às 7h da manhã ele recebe o café da manhã com frutas, leite e biscoitos. Seguido do almoço com legumes e carnes ao sair. No caso dos alunos do projeto + Educação, em que eles voltam à escola no contraturno, estes também recebem almoço e um lanche antes de saírem da escola”, explicou.

O cardápio é montado com o auxílio de nutricionistas e seguido à risca pelas escolas que mesmo em substituições, não deixam de consultar os profissionais, conta uma das merendeiras que trabalha há 13 anos na Escola Ubirajara Ferreira, a tia Direne da Silva, como é conhecida dos alunos. “Trabalho aqui das 6h às 16h30 com muito amor e faço de tudo para que que nossas crianças se alimentem bem e gostem do que estão comendo. Já sei os pratos preferidos da maioria e estamos sempre tentando agradar e diversificar o cardápio dentro da orientação da nutricionista”, enfatizou.

As mães e crianças aprovaram o cardápio, conta Girlene dos Santos, 37 anos, moradora do bairro Inconfidência e mãe de Micaela dos Santos Ferreira, 7 e Eduarda dos Santos Ferreira, 12. “Minhas filhas comem em casa antes de vir, mas repetem quando tem o prato preferido delas. A comida é muito bem feita e a escola está de parabéns. Já estou triste porque a minha mais velha já vai ter que mudar de escola para uma série mais avançada.” destacou.

Entenda a importância da alimentação nas escolas

Você daria salgadinhos, frituras e refrigerantes aos seus filhos sem nenhum peso na consciência? Mesmo não sabendo exatamente os malefícios destes produtos, muitas mães já estão trocando estes alimentos por outros mais saudáveis e fica tudo mais fácil quando a escola vira aliada nesta luta pela alimentação saudável.

Em Queimados, o veto de alimentos não saudáveis dentro das escolas não precisou virar lei para conscientizar os pais, alunos e até dirigentes escolares. O movimento começou pela substituição da comercialização de alimentos não saudáveis por “comida de verdade” como a troca de frituras por assados, por exemplo. Mas o que vem acontecendo de lá para cá é o desenvolvimento de políticas institucionais focadas na melhoria dos hábitos alimentares de crianças e adolescentes.

“A questão vai além da diminuição da obesidade, estamos falando aqui de qualidade de vida e melhoria na educação mesmo”, enfatizou o secretário Lenine Lemos, que ainda acrescentou: “Temos que lembrar que nossa alimentação reflete em nosso humor, prazer e disposição. Em se tratando de crianças e adolescentes em pleno desenvolvimento, a questão fica ainda mais séria”.

A parceria com a família é fundamental para o sucesso da educação alimentar nas escolas. As mães estão muito satisfeitas com o cardápio nutritivo apresentado nas unidades de ensino e prometem segui-lo em casa, como conta, dona Girlene. “A responsabilidade de alimentar é dos pais. A escola oferece apenas um reforço, por isso quanto mais educados eles vierem para a escola, melhor para eles, para nós e para a escola.” concluiu.

 

Fonte: Ascom Prefeitura de Queimados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *