Como poupar com o material escolar

Entre as preocupações comum no início do ano, a compra do material escolar tira o sono de alguns pais, preocupados com os valores que precisam reservar para estojos, cadernos e livros, entre outros itens. Para especialistas, alguns passos devem ser seguidos para que a temida lista enviada pelos colégios não gerem dívidas ou pese no orçamento. Em alguns casos, dependendo do esforço em economizar, o curso pode ser cortado pela metade. 
 
Segundo Bruno Fonseca, Master Coach de alto desempenho a economia vai de 10% a 50%, dependendo da vontade de querer fazer o corte. Não é problema pesquisar mais. Você pode eliminar 30% só com os itens que já foram comprados em anos anteriores. 
 
A preocupação maior gira em torno da lista de livros cobrada ano a ano. De acordo com a Érika Trindade, uma das diretoras da Creche Help mãe, esses gastos são inevitáveis, mas as mães tem como economizar fazendo um reaproveitamento de alguns utensílios como: uniforme, estojo, mochila e entre outros itens.
 
De acordo com a pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) a pedido da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) mostra que as despesas com ensino superior privado representam 48,83% dos gastos com educação. O fundamental é responsável por 21,69% dos gastos.
 
Os especialistas concordam que a intenção de economizar na compra do material não significa que o estudante terá um material de baixa qualidade. Segundos eles, é possível encontrar boas opções mesmo reutilizando alguns itens. Veja abaixo algumas dicas dos nossos especialistas:
 
1. O primeiro passo é pegar a lista repassada pela escola e procurar alternativas em casa. Elimine itens que são comuns em todas listas e materiais que não foram utilizados em anos anteriores.
 
2. Caso a lista seja muito grande, divida-a em duas ou três. Entre em contato com a escola para saber o que é essencial nos primeiros meses do ano. Outras compras podem ficar para maio ou junho, por exemplo.
 
3. Após detalhar a lista, o primeiro passo é pesquisar na internet os valores cobrados. Dos itens mais básicos até aos mais caros.
 
4. Em seguida, tire ao menos um dia para comprar o material. No caso dos itens básicos, como lápis, borracha e cadernos, opte pelas lojas do bairro.
 
5. No caso dos livros, entre em contato com conhecidos ou faça uma consulta com pais de outros alunos. Você pode encontrar um livro em bom estado para ser reutilizado.
 
6. Aproveite os grupos criados nas redes sociais que reúnem interessados na troca desses itens.
 
7. Reúna de quatro a cinco pais para negociar com a papelaria a compra dos livros mais caros. A loja vai oferecer condições mais vantajosas diante do número de interessados. 
 
8. É importante reservar uma parte do orçamento para a compra do material. De preferência, faça as compras à vista. Caso contrário tente parcelar sem juros para maior período possível. 
 
9. Não leve seu filho. Ele pode acabar pedindo um item fora do orçamento. Além dessa é comum as crianças cansarem durante a maratona de compras.
 
10. Reforce a seu filho a importância de manter o material em  bom estado. Ele pode servir para um irmão mais novo ou para um parente no futuro. 
Fonte: Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *